Logotipo da Prefeitura Municipal de Campinas
 

Notícias

Vacinação contra gripe atinge 83% dos grupos de risco e segue nos 64 CSs


10/07/2018 - 18:46




 

 

A campanha de vacinação contra a gripe continua nos 64 centros de saúde de Campinas. As vacinas estão disponíveis para pessoas de 60 anos ou mais, crianças a partir de seis meses e menores de cinco anos, trabalhadores da saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes, puérperas (até 45 dias após o parto), pessoas privadas de liberdade, funcionários do sistema prisional e doentes crônicos. Desde 25 de junho, crianças com idade entre 5 e 9 anos e adultos de 50 a 59 também podem se vacinar. As doses serão aplicadas até o fim dos estoques.

 

 

De acordo com o Departamento de Vigilância em Saúde (Devisa), foram vacinadas 213.956 pessoas dos grupos prioritários, o que representa uma cobertura de 82,94%. A meta é atingir 90%.

 

 

Neste ano, foram registrados 53 casos de gripe (25 de H1N1, 17 de H3N2, 10 de gripe A não subtipada e 1 por gripe B). Destas, seis pessoas morreram, sendo uma por H1N1, quatro por H3N2 e uma por gripe A, não subtipada. Em todos os casos, as pessoas eram dos grupos de risco e não estavam vacinadas. As três últimas confirmações foram uma mulher de 83 anos com pneumopatia crônica, que teve H3N2; um homem de 64 anos, diabético, que teve gripe A não subtipada; e uma criança de 1 ano, com pneumopatia crônica, que teve H1N1.

 

 

Os demais casos de óbitos foram todos por H3N2: uma mulher de 45 anos, obesa e com asma; uma mulher de 83 anos e tabagista; e um homem de 91 anos e com doença neurológica.

 

 

Todas as mortes aconteceram com pessoas de grupos de vulnerabilidade, não vacinadas. Em alguns grupos, como o de grávidas, por exemplo, a cobertura está baixa (61,09%). A vacina veio em seguida a uma enorme epidemia no hemisfério Norte. As pessoas precisam se vacinar”, disse o secretário de Saúde Carmino Antonio de Souza.

 

 

Em 2018, a dose protege contra as gripes A (H1N1 e H3N2) e B. A composição da vacina muda todo ano, de acordo com as cepas do vírus da gripe que estão em circulação no período. Por isso, as pessoas precisam se vacinar anualmente para evitar complicações causadas pela gripe e doenças graves, como pneumonia.

 

 

Pessoas com doenças agudas graves e febre (moderada ou alta) devem esperar a melhora do quadro clínico para receber a dose.

 

 

Para tomar a vacina, o paciente deve levar carteira de vacinação ou documento de identidade. Os doentes crônicos devem apresentar receita ou prescrição médica.

 

 

Influenza
 

 

A gripe, ou influenza, é uma infecção causada por vírus que afeta o sistema respiratório, mais precisamente o nariz, garganta e brônquios. O contágio ocorre de forma direta através das secreções das vias respiratórias da pessoa contaminada ao falar, tossir ou espirrar ou de forma indireta, por meio das mãos que, após contato com superfícies recém-contaminadas por secreções respiratórias, pode levar o agente infeccioso direto a boca, olhos e nariz.

 

 

A doença pode apresentar desde uma forma leve e de curta duração, até formas clinicamente graves e complicadas. A gripe é responsável por elevada taxa de adoecimento e morte em grupos de maior vulnerabilidade, principalmente no inverno.

 

 

Por isso, é muito importante a adoção de medidas que previnem a transmissão:

 

- Fazer frequente higienização das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento;

- Utilizar lenço descartável para higiene nasal;

- Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;

- Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca;

- Higienizar as mãos após tossir ou espirrar;

- Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;

- Manter os ambientes bem ventilados;

- Evitar contato próximo a pessoas que apresentem sinais ou sintomas de influenza;

- Se estiver com sintomas de gripe, na medida do possível, evite manter suas atividades cotidianas;

- Evitar aglomerações e ambientes fechados (procurar manter os ambientes ventilados);

- Adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos;

- Orientar o afastamento temporário (trabalho, escola, entre outros) até 24 horas após cessar a febre


Clique aqui para acessar as imagens desta matéria em alta resolução

Crédito: Carlos Bassan

Foto: Saúde apresentou números da cobertura vacinal | Crédito: Carlos Bassan

Saúde apresentou números da cobertura vacinal

Crédito: Carlos Bassan

Foto: Andrea von Zuben, diretora do Devisa, e Carmino de Souza, secretário de Saúde, reforçaram a necessidade da vacinação e das medidas de prevenção | Crédito: Carlos Bassan

Andrea von Zuben, diretora do Devisa, e Carmino de Souza, secretário de Saúde, reforçaram a necessidade da vacinação e das medidas de prevenção